Ser barbeiro é uma das mais antigas profissões, mas apesar da sua história antiga e de tradição secular, esta é uma área que se tem vindo a renovar. A barbearia moderna oferece, graças às novas tecnologias e técnicas, um serviço cada vez mais personalizado e distinto aos seus clientes e é isso que a torna tão especial.

Frequentemente as barbearias são estabelecimentos assumidamente masculinos e os funcionários são geralmente homens. Mas este é um conceito que tem vindo a ser desconstruído por milhares de mulheres em todo o mundo que têm vindo a conquistar, cada vez mais espaço nesse mercado. Esta carreira durante muito tempo dominada por homens, ganha agora uma nova dimensão graças a algumas mulheres que se especializaram nesta área, como é o caso de Andreia Gouveia, mais conhecida por Bratz Lady Barber.

Desde a infância até ao presente, Andreia fala-nos um pouco do seu percurso na área da barbearia moderna, que desafios enfrentou ao longo da sua carreira, como é o seu dia-a-dia e como é que o BUK a ajuda neste processo.


Quando é que soubeste que querias ser barbeira profissional?

Eu fui militar da Marinha Portuguesa durante 5 anos, e senti necessidade de mudar o meu rumo, em busca de maior satisfação pessoal/profissional. A minha mãe tornou-se cabeleireira profissional depois de engravidar de mim, então desde cedo que lido com esse mundo. A vertente feminina nunca me despertou interesse, mas a parte masculina sempre achei divertido, tinha curiosidade e pedia-lhe para me ensinar a fazer cortes masculinos. Porém nunca passava de diversão minha. Com o aparecimento das barbearias modernas comecei a ver a profissão de barbeiro com outros olhos, começou a despertar-me interesse, decidi arriscar tirar a formação de Barbeiro e foi aí que fez o click. Apaixonei-me imediatamente pela profissão e encontrei a minha paixão. Há poucas profissões tão independentes e livres.

Apaixonei-me imediatamente pela profissão e encontrei a minha paixão. Há poucas profissões tão independentes e livres.

Quais foram os maiores desafios que enfrentaste ao entrar nesta carreira?

No meu ponto de vista, a arte da barbearia está mais moderna nos últimos anos, o dia-a-dia é recheado de desafios e emoções. O maior desafio talvez tenha sido comigo própria, ganhar mais confiança em mim e no meu talento, quando conseguimos essa confiança tudo flui melhor. O melhor desafio de ser barbeira é ajudar os homens a olhar o que há melhor neles. Temos a capacidade de mudar completamente como alguém se sente e dar-lhe confiança.

Como é ser mulher num mercado assumidamente masculino? Sentes que cada vez mais mulheres estão a ganhar representação nesta área?

A desigualdade entre homens e mulheres num mercado de trabalho como este é um tema que parece antigo e desatualizado, mas é real e mais próximo do que imaginamos. É um mercado onde os homens têm sem dúvida mais oportunidades e credibilidade apenas pelo seu género. As mulheres têm de se esforçar a dobrar para obter reconhecimento. Há muitas mulheres nesta área, porém as mulheres no mercado de barbearia carecem de visibilidade.

De onde vem o teu nome artístico Bratz Lady Barber?

A alcunha “Bratz” acompanha-me aproximadamente há 15 anos, surgiu por haver uma marca de bonecas Bratz que segundo terceiros tem semelhanças com a minha aparência, desde então tornou-se hábito tratarem-me por essa alcunha, que mais tarde acabei por adotar. A parte de Lady Barber, surge no intuito de dar ênfase ao facto de eu ser uma mulher barbeira.

Já alguma vez foste alvo de algum tipo de preconceito por outros profissionais ou mesmo clientes?

No início quando acabei o curso e procurava a minha primeira oportunidade de estágio/trabalho senti algum preconceito por outros profissionais. Depois de surgir a primeira oportunidade e de começar a trabalhar na área deixei o trabalho falar por mim. E hoje em dia não sinto qualquer tipo de preconceito, antes pelo contrário, sinto muito reconhecimento e apoio, outros profissionais procuram-me para partilhar conhecimentos, e pedem-me formações. Em relação ao preconceito de clientes, já senti, é mais subtil, mas há sempre casos de clientes que não estão acostumados a ver mulheres barbeiras e primeiro ficam apreensivos.

Sentes que existe alguma tendência no universo masculino quanto ao corte de cabelo?

A tendência está a ser usar muito os pompadours, skin fades, short fringe, cabelo cheio de textura mais messy. Porém as tendências estão sempre a mudar. Nós barbeiros temos de estar sempre atentos às novas tendências e novas técnicas.

Como é a tua rotina num dia normal de trabalho, e como é que o BUK te ajuda?

A minha rotina é chegar a barbearia , deixar tudo pronto para receber os clientes, manter o espaço limpo, desinfectado, preparar a música ambiente, colocar as toalhas de barba no forno, abrir a aplicação BUK verificar o agendamento. Utilizar a aplicação BUK poupa-me tempo, pois o cliente autonomamente consegue fazer o seu agendamento a qualquer hora. Cada cliente que chega gosto de prestar um serviço personalizado, analisando e aconselhando adequadamente cada um consoante a minha noção de visagismo.

Sentes que o facto de digitalizar o processo de marcações te ajudou a ter mais tempo livre para outras coisas? Qual o feedback dos teus clientes em relação a isso?

A utilização da aplicação faz-me poupar tempo, por vezes os dias são muito preenchidos e não consigo responder prontamente, ou estou ocupada e evito ter de parar o que estou a fazer para tratar de agendamentos. De uma forma muito acessível e fácil o cliente consegue fazer a sua marcação.

O feedback dos clientes em relação à aplicação BUK tem sido bastante positiva, elogiam o profissionalismo, a facilidade que é em agendar e os lembretes recebidos, noto que ficaram bastante satisfeitos com a iniciativa de utilizar uma aplicação para agendamentos online.

A utilização da aplicação faz-me poupar tempo, por vezes os dias são muito preenchidos e não consigo responder prontamente, ou estou ocupada e evito ter de parar o que estou a fazer para tratar de agendamentos.

Já cortaste o cabelo a vários famosos como o C4 Pedro, Biura, Daniel Nascimento, Virgul, Dino de Santiago ou mesmo o actor Pedro Barroso. Como é que eles chegaram a ti e como é que fazes para diferenciar o teu serviço de um barbeiro “normal”?

Sim é verdade, agradeço sempre toda a simpatia deles e confiança no meu trabalho. Eles chegaram até mim através de amigos em comum, ou referenciados por clientes meus, aos quais agradeço a divulgação do meu trabalho. O que diferencia o meu serviço é a paixão pelo que faço, é o perfeccionismo, delicadeza e ser detalhista.

Por fim, qual a mensagem que gostarias de deixar às profissionais portuguesas que estejam agora a iniciar-se nesta área?

O meu conselho é amar muito o que se faz, formar-se, aprimorar a técnica para se destacar na área, e acreditar em si própria, pois é um mercado com alguma descriminação onde nos subestimam sem termos provas dadas, e por vezes pode quebrar o entusiasmo ou até mesmo fazer desistir. Género não define eficiência e há espaço de sobra para mulheres no mundo das barbearias. As mulheres devem posicionar-se e mostrar que são tão boas quantos os homens.


Para fazer uma marcação com a Andreia basta aceder à sua página de marcações ☛ bratz-barber.buk.pt

Se é um profissional da área e gostaria de experimentar o BUK de forma completamente gratuita e sem fidelização, basta aceder a buk.pt e registar-se gratuitamente.